quinta-feira, 30 de junho de 2016

O sentido de uma abstenção

Durante uma reunião de colegiado, os membros têm algumas opções ao apreciar uma matéria: aprová-la, rejeitá-la, se abster de votar ou pedir vistas.

No caso de nossa atuação no Conselho de Administração, em geral nossos posicionamentos são de aprovação ou de rejeição da matéria, ficando reservadas as opções de abstenção e de pedido de vistas para situações especiais em que essas alternativas sejam mais apropriadas.

Recentemente, ao nos depararmos com uma proposta com a qual concordávamos mas que, em nossa opinião, não estava devidamente instruída para decisão, optamos pela abstenção.

Ao nos abstermos, reconhecemos a importância e urgência da proposta, mas sinalizamos para a Empresa que temas como este precisam chegar aos conselheiros com a devida antecedência e com a instrução adequada, ou seja, acompanhados de todos os elementos necessários para dar segurança à decisão proposta.

A proposta em questão foi a de contratação de empréstimo para assegurar capital de giro para a Empresa. Não temos nenhuma dúvida da importância de a Empresa dispor desse mecanismo no curto prazo, para garantir os pagamentos de compromissos enquanto se busca meios de equilibrar o fluxo de caixa. Assim, concordamos que seja uma medida a ser adotada. Mas consideramos que nos faltaram elementos importantes para nos dar a segurança que entendemos necessária à aprovação de tema tão relevante e com desdobramentos por longo período.

Outros conselheiros entenderam diferente e votaram a favor da matéria e um votou contra, porque não concordava mesmo com a realização da operação.

Ocorrências assim são normais em colegiados e as decisões são produzidas a partir da votação havida.

Em situações como esta, a abstenção não é nenhuma omissão do conselheiro, como poderiam pensar alguns, mas sim um posicionamento possível diante de uma situação em que, embora concorde com a necessidade da medida proposta, considera que o embasamento para a decisão precisaria ser melhor construído, para maior segurança da Empresa. 

2 comentários: